PERFIL

Aqui você conhece um panorama do SEBRAE PREVIDÊNCIA

O Instituto

BREVE APRESENTAÇÃO

O SEBRAE PREVIDÊNCIA - Instituto SEBRAE de Seguridade Social é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar constituída sob a forma de sociedade civil, sem fins lucrativos, de personalidade jurídica de direito privado. Criado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE, tem o objetivo de complementar os benefícios concedidos pela previdência social mediante administração do Plano SEBRAEPREV (desde 2004) e do Plano Valor Previdência – que engloba os Planos Família, FenaconPrev (ambos desde 2019) e CoreconPrev-DF (a partir de 2020).

 

As Unidades que compõem o Sistema SEBRAE e a ABASE - Associação Brasileira dos SEBRAEs Estaduais, mediante a celebração dos respectivos Convênios de Adesão, são Patrocinadoras do Plano SEBRAEPREV, além do próprio SEBRAE PREVIDÊNCIA. Já o Valor Previdência é Instituído pelas seguintes entidades: FENASEBRAE - Federação Nacional das Associações do Sebrae (Plano Família), IFEN - Instituto Fenacon (Plano FenaconPrev), e Corecon-DF - Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Plano CoreconPrev-DF).

 

Os recursos necessários ao atendimento dos objetivos do Instituto e ao seu funcionamento operacional proveem de contribuições das Patrocinadoras, dos Participantes (inclusive dos planos instituídos) e dos rendimentos resultantes das aplicações desses recursos.

 

O SEBRAE PREVIDÊNCIA é relativamente jovem se comparado aos demais fundos de pensão brasileiros. Contudo, mesmo com apenas 16 anos, destaca-se entre os grandes se levado em conta o volume do patrimônio administrado versus a quantidade de participantes. O Instituto é, ainda, reconhecido por suas boas práticas de governança corporativa e iniciativas de vanguarda voltadas, principalmente, ao público jovem.

 

Nosso jeito de ser

 

Segurança, futuro, aposentadoria, tranquilidade, investimento, estabilidade, poupança e previdência. Estes são alguns dos atributos que traduzem a atuação do SEBRAE PREVIDÊNCIA para os Participantes – conforme frequência de menções espontâneas na última Pesquisa de Satisfação – e que estão intimamente ligados à missão, à visão e aos valores do Instituto, citados a seguir.

Órgãos Estatutários

 


Conselho Deliberativo

É o órgão responsável pela deliberação e orientação superior, ao qual incumbe fixar as diretrizes e políticas do SEBRAE PREVIDÊNCIA por meio de decisões colegiadas. É composto por oito membros titulares e seus respectivos suplentes.

 

Conselho Fiscal

O Conselho Fiscal é o órgão de fiscalização da gestão do Instituto, composto por quatro membros efetivos e seus respectivos suplentes – onde dois eleitos pelos participantes e dois escolhidos pelas patrocinadoras – dentre os Participantes dos planos de benefícios.

 

Diretoria Executiva

A Diretoria Executiva é o órgão de administração geral da Entidade, cabendo-lhe cumprir as deliberações do Conselho Deliberativo. É composta por três membros.

 

Posição no Ranking da Previdência Complementar Fechada

A Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar – Abrapp divulga anualmente um “ranking” da previdência complementar fechada com base no volume da carteira de investimentos administrada pelas Entidades. Com o fim do exercício de 2019, o Instituto passou a ocupar a 122ª posição.

 

Resumo Executivo

O SEBRAE PREVIDÊNCIA administra dois planos de benefícios com características distintas: um patrocinado e outro instituído – o Valor Previdência.

O Plano SEBRAEPREV é do tipo Contribuição Definida (CD), o que significa que o Participante define o valor das contribuições mensais para o plano, que será acompanhado por contribuição de mesmo valor (até determinado limite) feita pelo Patrocinador. Os valores das contribuições são depositados em conta individual, aberta em nome do participante junto ao SEBRAE PREVIDÊNCIA. O saldo da conta acumulado em nome do Participante é composto pelas contribuições pessoais, do Patrocinador e a rentabilidade auferida na aplicação desses recursos. Os Patrocinadores do Plano são o SEBRAE Nacional e as Unidades que compõem o Sistema SEBRAE, a ABASE e o próprio SEBRAE PREVIDÊNCIA.

O Plano Valor Previdência também é do tipo Contribuição Definida (CD), porém é um plano de benefícios instituído. A FENASEBRAE - Federação Nacional das Associações do Sebrae, o IFEN - Instituto Fenacon e o Corecon-DF - Conselho Regional de Economia do Distrito Federal são os seus instituidores.

Patrimônio

 

Evolução do Patrimônio

 

O SEBRAE PREVIDÊNCIA encerrou o exercício de 2019 atingindo R$ 910 milhões de patrimônio da carteira de investimentos, com crescimento de 8,33% sobre o volume administrado em 2018. Deste total, mais de R$ 15 milhões é referente somente ao novo Plano Valor Previdência. 

CONSOLIDADO

PLANO SEBRAEPREV

PLANO VALOR PREVIDÊNCIA

Rentabilidade dos Investimentos (bruta)

Os Perfis de Investimento do Plano SEBRAEPREV apresentam desempenho bastante consistente ao longo dos anos. Historicamente eles apresentam performance superior aos principais índices de referências do mercado financeiro (Ibovespa, CDI, IPCA e Poupança). E o Plano Valor Previdência teve retorno semelhante ao perfil Moderado (SEBRAEPREV), conforme observado no gráfico a seguir.

Outra característica importante é a baixa volatilidade (oscilações) dos retornos do Plano SEBRAEPREV. O retorno histórico é consistente com o que se espera para um Plano de Previdência Complementar. A seguir, é possível observar a formação de reserva de um participante, desde o início da operação do Plano. 

Pode ser observado que da reserva formada pelo participante, apenas 29% é fruto de suas próprias contribuições. O restante é composto pela contrapartida da patrocinadora e pela rentabilidade das aplicações – que, no período, superou em 41% tudo aquilo que foi investido pelo participante.

Resgates

Em 2019, o SEBRAE PREVIDÊNCIA efetuou o pagamento de 520 resgates a participantes do Plano SEBRAEPREV que optaram por este instituto, além de 2 para participantes do Plano Valor Previdência.

Participantes

O SEBRAE PREVIDÊNCIA encerrou 2019 com um total de 9.398 Participantes, sendo 7.903 do Plano SEBRAEPREV e 1.495 do Plano Valor Previdência. Confira mais detalhes nos tópicos a seguir.

Evolução do Número de Participantes

Segmentação por Plano, Situação no Plano e Gênero

PLANO SEBRAEPREV

PLANO VALOR PREVIDÊNCIA

Segmentação dos Benefícios de Prestação Continuada

PLANO

SEBRAEPREV

PLANO

VALOR PREVIDÊNCIA

Investimentos

Panorama Econômico

O desempenho econômico não foi uniforme ao longo de 2019. A economia, que iniciou o ano em ritmo lento, recuando 0,01% na margem no 1º trimestre, apresentou melhora somente nos outros trimestres. Mesmo assim, 2019 foi bastante positivo para os ativos de mercado de capitais como um todo: a bolsa bateu recordes, impulsionada por juros baixos e a boa perspectiva sobre o andamento das reformas; e o mercado de crédito registrou expressivo aumento por conta do encolhimento do BNDES e das condições favoráveis para captação de recurso internamente. Entenda mais a seguir, conferindo um panorama dos cenários interno e externo.

CENÁRIO INTERNO

O ano de 2019 começou com a expectativa de rápida implementação da agenda econômica que saiu vitoriosa nas eleições presidenciais de 2018, cujo principal direcionamento era no sentido de aprovaras reformas Administrativa, Tributária e da Previdência. Contudo, somente no último trimestre do ano, o Congresso Nacional aprovou a Reforma da Previdência, proporcionando ânimo no mercado de capitais e a expectativa de uma retomada mais robusta da economia, contribuindo para a queda do risco-país (que ficou no menor nível desde 2010).

 

Antes disso, diversos eventos prejudicaram o crescimento econômico do Brasil: a tragédia do rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho (MG), a crise na vizinha Argentina e a desaceleração global, por exemplo, impediram um processo mais firme de recuperação do país. Todavia, outros acontecimentos mudaram um pouco esse cenário a partir do 2º semestre, com destaque para a liberação dos saques do FGTS/PIS – que melhorou as condições financeiras da população, estimulou o comércio, favoreceu a expansão do crédito e incrementou o consumo.

CENÁRIO EXTERNO

No âmbito internacional, o que dominou o noticiário foi a guerra comercial entre China e Estados Unidos, que perdurou praticamente o ano inteiro. Com a demora em fechar o acordo, entidades internacionais cortaram projeções de crescimento da economia global.

 

Ainda, em agosto, um fato chamou a atenção dos economistas e investidores de todo o mundo: invertendo a lógica de sempre, os títulos de longo prazo da dívida norte-americana foram negociados com juros mais baixos do que papéis de curto prazo. Em alguns países europeus, eles chegaram a ser negociados com taxas negativas. Esse movimento aconteceu pela primeira vez desde 2008, nos meses que antecederam a recessão daquele ano. A queda das taxas de juros foi um reflexo dos temores sobre uma nova crise mundial: o medo de outra recessão fez com que os investidores buscassem títulos mais longos da dívida do governo dos Estados Unidos — considerado um dos ativos mais seguros do mundo.

Impacto no Instituto

Esses cenários acabaram sendo bastante favoráveis para a carteira de investimentos do Instituto, uma vez que no início do ano foi aprovada uma Política de Investimento com mais limites para assunção de risco em Bolsa, Investimentos Estruturados e Investimento no Exterior. Além disso, foi aprovada a seleção de novos gestores exclusivos de investimentos para a estratégia de investimentos em fundos multimercado FOF (Fund of Funds), com o objetivo de criar um mandado exclusivo de gestão com os melhores gestores de investimentos do Brasil para a elaboração de um produto de investimento previdenciário de baixíssimo custo, visando capturar o maior retorno possível de cada classe de ativo.

 

Tais decisões permitiram a criação de uma carteira de investimentos balanceada e que se altera em decorrência da oscilação dos preços dos ativos e das mudanças do cenário econômico, capturando prêmios nos mercados de juros, renda variável, investimentos estruturados e câmbio. Também, uma parcela dos recursos pode ser investida no exterior, obtendo os benefícios da diversificação geográfica. Com isso, as posições em cada um dos ativos se alteram ao longo do tempo, respeitando a política de investimentos, que é construída com base em um estudo estatístico de otimização de carteira, que leva em consideração a expectativa de risco x retorno dos ativos, além da matriz de correlação de retornos.

 

O resultado desse trabalho foi facilmente traduzido em números: o resultado do recente Plano Valor Previdência, implementado no início de 2019, superou em todos os meses o CDI (índice de mercado de referência), mesmo nos momentos onde os preços de ativos de mercado mais oscilaram (em maio e em agosto). Isto é, sem qualquer mês com rentabilidade abaixo desse benchmark – o que é raro –, o novo Plano encerrou o ano com um retorno próximo a 170% do CDI. Além disso, o nível de risco foi baixo se comparado ao retorno obtido ao longo do período, o que proporcionou um índice Sharpe (relação risco x retorno) acima de 3.

 

Esses resultados, associados à velocidade da expansão do novo Plano, foram objetos de destaque em matéria publicada na revista da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar – Abrapp, que destacou o desempenho do Valor Previdência quando comparado aos demais planos de previdência complementar fechada.

Perspectivas para 2020

A gestão dos investimentos dos planos de benefícios administrados por Entidades Fechadas de Previdência Complementar, como o SEBRAE PREVIDÊNCIA, considera a construção de uma carteira que visa resultados no longo prazo. Porém, diante de adversidades, a adoção de medidas no curto prazo é necessária, de forma protetiva, para mitigar os impactos negativos de crises, tal qual a vivenciada pela atual pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) – que surgiu no fim de 2019.

 

Logo, espera-se que os resultados para a cota dos perfis de investimentos e, consequentemente, para a cota dos participantes sejam adversos – mesmo mantidas as performances dos perfis de forma proporcional ao seu nível de risco. Por isso, o Instituto já tem realizado ações para reduzir a exposição em Renda Variável e os prazos das posições dos Títulos de Renda Fixa, com foco em vencimentos mais curtos, bem como tem buscado Ativos com maior liquidez.

Política de Investimentos

Os recursos dos Planos SEBRAEPREV e Valor Previdência são investidos observando-se as diretrizes (limites de alocação, índices de referência e metas a serem alcançadas) da Política de Investimento vigente, que, por sua vez, é proposta pela Diretoria Colegiada, aprovada pelo Conselho Deliberativo do SEBRAE PREVIDÊNCIA, com o apoio da Comissão de Investimentos.

 

A Política de Investimento é definida visando garantir segurança, liquidez e rentabilidade para preservar os benefícios dos seus Participantes e Assistidos. Ela é revisada anualmente ou quando necessário, sempre considerando as características e especificidades dos planos de benefícios, a legislação pertinente e os cenários econômicos. Nela são estabelecidos itens como a alocação estratégica, restrições de investimentos, operações com derivativos e apreçamento de ativos. Merece destaque também a avaliação e controle de monitoramento dos diversos riscos aos quais os recursos do plano de benefícios estão expostos, dentre eles os riscos de mercado, de crédito, de liquidez, legal, operacional, atuarial e de procedimentos.

 

A Política de Investimentos aprovada pelo Conselho Deliberativo para o ano de 2020 trouxe mudanças nas metas de rentabilidade (benchmark) para os perfis de investimentos, uma vez que o cenário atual tende a favorecer investimentos de maior risco:

 

  • Perfil Conservador: de 102% CDI para CDI + 0,66%;

  • Perfil SEBRAEPREV (Moderado): de 110% CDI para CDI + 1,76; e

  • Perfil Arrojado: de 120% CDI para CDI + 2,41%.

 

O objetivo da alteração foi adequar, então, os perfis a um ambiente de juros e inflação baixos, sendo necessária a diversificação na alocação dos ativos em outros segmentos de investimentos além da Renda Fixa, como por exemplo, na classe de Renda Variável, Investimento no Exterior, Fundos Imobiliários e Investimentos Estruturados.

 

Saiba mais sobre os Perfis de Investimentos do SEBRAE PREVIDÊNCIA no item 6.3.6.

Alocação dos Recursos Garantidores

Em 2019, foi destaque o sucesso na gestão dos investimentos. O SEBRAE PREVIDÊNCIA aprimorou seu processo de gestão contratando um gestor de patrimônio (exclusivo) – produto que é acessível na rede bancária apenas para investidores de elevado patrimônio (cerca de R$ 10 milhões) –, responsável por selecionar os melhores fundos de investimentos em cada uma de suas categorias (renda fixa, renda variável, investimentos estruturados no Brasil e no exterior), garantindo o melhor dos dois mundos: boas perspectivas de rentabilidade e diversificação de risco. Dessa forma, o participante do Instituto passou a ter acesso a uma carteira gerida pelos profissionais (gestores) melhores ranqueados em cada uma de suas classes de ativos, possibilitando também a mitigação de riscos, através da diversificação do patrimônio.

GESTÃO TERCEIRIZADA

Perfis de Investimentos

Os recursos do Plano SEBRAEPREV são investidos em três modalidades de Perfis de Investimentos de livre escolha dos Participantes conforme seus objetivos de vida, expectativas de resultados em curto, médio ou longo prazo. Isto é, com os Perfis de Investimentos, o SEBRAE PREVIDÊNCIA oferece mais flexibilidade e autonomia para que os Participantes construam as suas reservas para a aposentadoria de forma compatível com as suas particularidades e tolerância ao risco.

 

O Plano Valor Previdência não oferece a possibilidade de escolha de perfil de investimento. Por ainda estarem em uma fase inicial, seus recursos são alocados conforme a Política de Investimentos definida para o Perfil Moderado do Plano SEBRAEPREV.


 

TIPOS DE PERFIS

Conservador

Orientado para aqueles que não gostam ou não querem correr riscos em seus investimentos, o Perfil Conservador agrupa investimentos considerados de menor risco e, por isso, exclui a aplicação de recursos em renda variável.

SEBRAEPREV (Moderado)

É um perfil intermediário, adequado para aqueles que buscam segurança sem deixar de considerar uma certa dose de risco para obter ganhos maiores. Conta com um portfólio de investimento balanceado em Renda Fixa, Juros, Ações, Investimentos Estruturados e Investimentos no Exterior.

Arrojado

O Perfil Arrojado destina-se ao Participante com maior tolerância ao risco com o objetivo de buscar retornos mais elevados no longo prazo. O que o diferencia do Perfil SEBRAEPREV (Moderado) é a maior exposição nas classes de ativos de maior risco (Juros, Ações e Investimentos no Exterior).

RENTABILIDADE POR PERFIL E SEGMENTO DE APLICAÇÃO

RENTABILIDADE POR FUNDO DE INVESTIMENTO
(composição em 31/12/2019)

Administração

As Despesas Administrativas correspondem aos gastos para manutenção da gestão dos Planos SEBRAEPREV e Valor Previdência, segregadas em despesas de Administração Previdencial e de Administração de Investimentos. Em 2019, o total das Despesas Administrativas foi de R$ 8.217.699,29. 

Custo por Participante

A Despesa Per Capita ou Custo por Participante representa um indicador para os gastos administrativos por Participantes, que permite a realização de comparações sobre a estrutura de custos da Entidade, bem como é uma referência para avaliar a competitividade da instituição. No ano de 2019, ele apresentou queda de 6,28% ficando em R$ 826,21. Essa melhora é fruto da continuidade do processo de controle de custos do Instituto, bem como reflexo do ganho de escala obtida com o sucesso da implementação do Plano Valor Previdência. O último estudo publicado pela Previc sobre o assunto, ainda em 2019, mostra que o custo por participante do SEBRAE PREVIDÊNCIA está 43% abaixo da média do mercado.

Taxa de Carregamento

A partir de 2019, a Taxa de Carregamento que incidia apenas na Contribuição Básica foi reduzida de 1,2% para 0%! Contribuições Voluntárias e de Serviço Passado não tem Taxa de Carregamento. 

Taxa de Administração

A Taxa de Administração permaneceu estável em 0,8% desde 2013. Porém, em 2019 foi ajustada para 0,9% em função da extinção da Taxa de Carregamento, dentre outros fatores. O índice será novamente reduzido, para 0,85%, a partir de abril de 2020.

Relatório Anual

de Informações 2019

  • Instagram
  • Facebook
  • Spotify - círculo cinza
  • YouTube

SEBRAE PREVIDÊNCIA - Instituto Sebrae de Seguridade Social | relacionamento@sebraeprev.com.br  |  (61) 3327-1669